PetitesFolies



Eu visualizo o semblante do que eu vejo, e o meu, eu não vejo. Não vejo. A linha do horizonte visualizo, ela se afasta como você. E eu, eu não me vejo. o quanto eu andei, eu me irritei; eu não acreditei. Aquela face infantilizada que esvanecia o interior. Quando o horizonte se afasta, some, o interior se perde, o caminho. o que está dentro, nada? Vazio. Não, face, gestos, gosto, desgostos. Se o que? Se me surpreende de que o horizonte se afaste, porque não quero perder o que eu nunca tive: certeza. Não, perder o sonho. Um semblante, uma mentira, uma miragem. Há liberdade. Pra enganar, ludibriar, constranger. Calar, chorar, brigar. Sumir. Resultado. Virar. Horizonte ultrapassado. Máquina do tempo. Memória, eu recordo, eu volto e mudo. Mil vezes. O horizonte com cara de imaturo. Cara de abismo. Eu caí na realidade. Consciência: a minha liberdade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: